E se… Grenal na Libertadores


A partir da noite de 6 de março Inter e Grêmio iniciam suas caminhadas na Libertadores 2019 – no Chile e na Argentina, respectivamente.

Esta será apenas a terceira chance que a dupla terá de causar uma hecatombe de rivalidade: um grenal no mata-mata da mítica competição sudaca. As chances de acontecer algo como os patéticos eventos de Buenos Aires 2018 são grandes, inclusive pelas nossas tendências vira-latísticas em relação aos hermanos do Rio da Prata. Mas também seria uma oportunidade única de maximar o clima agonizante e mágico que antecede o clássico.

Antes deste ano os dois só estiveram na mesma edição da Libertadores em outras duas oportunidades: 2007 e 2011. E se tivessem acontecidos grenais nestes anos? Se liga:

Libertadores 2007

O Inter vinha do ano da graça de 2006 e tudo parecia funcionar como que por encanto. O Grêmio ainda estava se reestruturando depois da volta à Série A e conseguiu fazer uma boa temporada um ano antes. Contrariando os prognósticos o Inter não passou da primeira fase e o Grêmio fez a final contra o Boca de Riquelme.
Aqui os times titulares no último jogo de cada um na competição:

Grêmio – Saja, Patrício, William, Teco e Lúcio; Lucas, Gavillán, Diego Souza e Tcheco; Carlos Eduardo e Tuta. Técnico: Mano Menezes

Inter – Clemer, Ceará, Índio, Hidalgo e Rubens Cardoso; Edinho, Wellinton Monteiro, Vargas e Fernandão; Iarley e Alexandre Pato. Técnico: Abel Braga.

Libertadores 2011

Enquanto o Grêmio enfrentou a “pré-Libertadores” e ficou em segundo no seu grupo, o Inter trocou de técnico na última rodada da primeira fase. E por muito pouco não se encontraram nas quartas-de final! A dupla foi eliminada na mesma noite: pelo Peñarol do treinador Diego Aguirre e pela Universidad Católica do atacante Lucas Pratto.

Grêmio – Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Rafael Marques, Rodolfo e Gilson; Vilson, Adilson, Fernando e Douglas; Lins e Júnior Viçosa. Técnico: Renato Portaluppi.

Inter – Renan, Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Bolatti, Guiñazú, Oscar, D’Alessandro e Andrezinho; Leandro Damião. Técnico: Paulo Roberto Falcão.

Libertadores 2019

E para este ano? Desta vez o cenário de 2007 é praticamente um oposto perfeito. O Tricolor atravessa uma das melhores fases de sua história, tanto em termos de títulos quanto de qualidade futebolística. O Colorado, por outro lado, segue se reestruturando depois da queda para a segundona em 2016. Os times base para o início da competição são:

Inter – Marcelo Lomba, Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, D’alessandro, Nico López e Neílton; William Pottker. Técnico: Odair Helmann.

Grêmio – Paulo Victor, Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Rômulo, Maicon, Marinho, Luan e Everton; Felipe Vizeu. Técnico: Renato Portaluppi.

About the author

Felipe

Felipe da Costa Conti, 31, Jornalista, Colorado.
Queria ser o Taffarel mas não serve nem pra Maizena.

Add Comment

Click here to post a comment

Recordar é viver

Categorias