Explicando pra patroa

Olha aquele gremista ali, que liiiiiindo!!!
Imagine o Silas chegando em casa domingo à noite.
– Ô xina veia, dá um susto naquela gelada e bota aquele teu shortinho piriguéti que hoje meu dia tem que terminar alto padrão.
E chutando os sapatos para detrás da porta da sala encaminha-se para o chuveiro, deixando a cueca no CLOSET, a camisa sobre a cama.
Já no banho, deleitando-se com a água morna, lembrava dos lances do GRE-NAL 380 (corrigido às 15h43), o primeiro vencido com ele na casamata.
Bastava vencer o GRE-NAL para dormir plenamente sossegado desde que chegou ao Olímpico. Mas neste primeiro duelo da final de 180 minutos do Gauchão 2010 (que não vale nada, não vale nada, mas vai perder pra ver) o Grêmio não só venceu, como GOLEOU, e dominou o Inter.
Enxugado, de samba-canção e corrente no pescoço, Silas começa a explicar para sua digníssima como fez pra vencer o Inter. Precisava fazer isso. Sentia falta de reviver os momentos que antecederam o clássico até a glória final.
– Quando o Fábio Santos se machucou, eu pensei em chamar o Bruno Collaço. Desisti porque o guri ainda não me convenceu e é muito baixinho. Aí lembrei do (finado) Joilson. Mas acabei entrando num site aí, um tal Grenalzito, e vi que o cara lá não me perdoaria se eu ressuscitasse o lateral e então cheguei ao nome do Neuton. E o guri respondeu. E eu me safei deste problema.
– Mas tu não vai me dizer que o Neuton resolveu o jogo… diz a esposa, enfiando-se no shortinho jeans por cima de uma calça preta:
– Não, claro que não. Ele foi só uma peça. E foi destaque porque era estréia. Ganhei o jogo mesmo foi na insistência, na boa articulação do Hugo, na movimentação do Jonas, na marcação de Ferdinando, Magrão, Adilson e Rochemback e nas falhas de marcação deles. Teve o oportunismo do Borjão também, a presença de área do Rodrigo…
– E o Inter não teve nenhuma chance?
– Teve. E boas. Mas só o Walter levou perigo. Sempre em bolas de longe. Pauladas. Verdadeiros petardos. Ah, o Sandro também mandou uma bomba que passou raspando. Mas o Victor esteve MUITO bem, como sempre. Hoje ninguém se lembra mais daquele montinho artilheiro de outrora.
– Hum…
– E tem mais, meu CHERO. Foi ducacildis ver o estádio deles lotado e moribundo no final, sem força, cabisbaixo. Me viciei. Vou querer o time jogando sempre com esta determinação, peleando por todas as bolas, preocupado na defesa, ousado no ataque. O Jonas hoje foi demais. Se ele faz aquele gol com dois caras do Inter DEITADOS no chão. Diós mio!!! Seria o Armagedom!!!
————–
Nota da redação: O Silas me ligou pra dizer que eu estava totalmente equivocado com aquela ideia de três volantes que falei no vídeo. Ele me mandou confiar mais no Hugo e deixou escapar que o Adilson tá recuperando a vaga no time.

About the author

Grenalzito Corp

14 Comments

Click here to post a comment

Recordar é viver

Categorias