Graças a Alá, o Grêmio caiu na Real

Foi num dia desses de futebol ao sol e à sombra, um encontro casual de conterrâneos, nas areias da guarda do Embaú, Eduardo Galeano teria perguntado ao nosso amigo Mau: Em que o futebol se parece com Deus? Nosso amigo Mau teria parado pensativo por alguns segundos e respondido com um “passe de bola” lateral: – O futebol se parece com Deus na devoção que desperta em muitos crentes e na desconfiança que desperta em muitos intelectuais.

Confesso que entre o crente Mau e o desconfiado Galeano, eu tava mais pra desconfiado, mas fiz uma oraçãozinha básica pra garantir, não pedi muito, tanto que não prometi nada, só pedi encarecidamente que o Grêmio caísse na Real. E graças a Alá ele caiu, antes tarde do que nunca.

Ainda na Guarda enquanto atravessavam à canoa, o Rio da Madre, filosofavam vestidos de celeste, Galeano e o nosso amigo Mau “Todo mundo sabe que dá azar pisar num sapo, pisar a sombra de uma árvore, passar por debaixo de uma escada, sentar-se ao contrário, dormir em posição invertida, abrir guarda-chuva debaixo de teto, contar os dentes ou quebrar um espelho”. Mas o que é que fez o Grêmio pra ter tanta sorte nos últimos 18 meses, teriam indagado os dois ao canoeiro anônimo.

Entre uma bola e outra teria dito o canoeiro: Tá ligado que essa sorte do Grêmio é bruxaria de um tal de Perotinho Gaúcho, saca só:

1- O Grêmio teve muita sorte quando demitiu o Promissor PeP Roger, e contratou o então desacreditado Renato Gaúcho que assina as pranchetas com a digital, até meu amigo Mau criticou a contratação do ídolo.
2- Tá ligado naquele jogo de estreia contra o furacão, o que foi aquilo, uma dose cavalar de sorte, trabalho pesado do Pai de Santo Perotinho Gaúcho.
3- Depois o jogo contra o Palmeiras, o Grêmio acuado pronto pra ser mastigado, eis que Allione entrega a rapadura de forma inexplicável, parecia trabalho em cima do cara.
4- Depois disso apostando praticamente nos mesmos jogadores e jogando incrivelmente bem o Grêmio foi merecidamente campeão da Copa do Brasil.
Só um bruxo que acredita muito no trabalho apostaria nisso né Perotinho, e até faz sentido, porque a Copa do Brasil costuma reservar glórias a times medianos, até ai tudo bem.
5- Diz a lenda que o Pai de Santo Perotinho Gaúcho num desses “trabalhos” recebeu do além uma lista quentíssima de contratações bombásticas pra 2017, e que teria sido visto e até fotografado passando as informações para um senhor ligado ao futebol do Grêmio. Um garçom Anônimo encarregado de não deixar faltar cerveja maltada aos dois gremistas, conta que teria ouvido mais ou menos o seguinte dialogo, tá ligado:

Espinosa: – Perotinho to pensando em trazer o Ibrahimovic pro Grêmio, o que você acha?
Perotinho: Não meu camarada, traz o Jael, ele vai fazer 40 gols no ano, informação quente.
Espinosa: – E o que tu acha de trazer o Mario Fernandes de volta pra lateral direita?
Perotinho: – Eu apostaria no Léo Moura, tenho uns amigo de Brusque que me passaram informações muito boas dele lá no Metro.
Espinosa: e que tal o Zeca pra Lateral esquerda?
Perotinho: Cortez é o cara, acredita em mim, joga muito.

6- Agora falando sério imaginem a complexidade do trabalho, pra fazer com que numa libertadores com recorde de campeões disputando o torneio (30 títulos), o Grêmio fique campeão sem confrontar nenhum desses títulos, Guarani do Paraguai, Deportes Iquique, Zamora, Gody Cruz, Botofogo, Barcelona sul americano e Lanús, é muita sorte, tanta sorte que por um momento eu pensei que só de castigo eu veria o Grêmio campeão do mundo jogando contra Pachuca e Al Jazira…, eis que aí a sorte acabou.

Lógico que todo colorado tava torcendo mesmo pro Grêmio cair na semi e repetir o fiasco de Inter, Galo e Atlético Nacional, e isso esteve muito perto de acontecer, depois pensei, será que virá um fiasco tipo o do Santos, e isso esteve muito perto de acontecer também, e só não aconteceu porque o destino guardava uma surpresinha pro nosso amigo BICA, que por descuido na sua oração diária pedia fervorosamente que os craques do Real Madrid não fizessem gol no Grêmio, e realmente os Craques não fizeram. Foi, foi, foi, foi, foi, foi, foi ele, Cristiano Ronaldo, o ………. da camisa número 7, confira comigo no replay, a bola passou entre as nádegas do cidadão, quando eram jogados redondos…, queria o destino que CR7 não fizesse contra o Grêmio um gol qualquer numa goleada de 4 x 0, ele faria o fatídico e decisivo gol do título, e dedicaria o feito a todos os poetas de Guaíba, sem nenhum em especial.

Depois do jogo vi muitos gremistas, até então otimistas, dizendo que esperavam uma goleada, sinceramente pouco importa o que os gremistas esperavam, nos preocupava é o que sonhavam, porém oh, porém definitivamente não passou de um sonho.

Sinceramente eu como bom secador esperava muito mais do Grêmio, Real passeou em campo, teve mais dificuldades contra o Al Jazira do que contra o Grêmio:

eu achava que o “ex analfabeto”
aprontaria as suas pra cima do Real,
achei que o Grêmio seria brigador,
destemido, copeiro e imortal.

Pensei,
que Abu Dhabi enfim, daria um Bi,
Que Edilson seria um Ceará, e Luan o Luanel,
que intransponível fosse a barreira do MG
e que o fatídico gol fosse de Jael .

Só que não, o que vimos foi um Monólogo, meia linha, o Grêmio se segurando com as calças na mão, como se estivesse ali apenas para não ser massacrado, será que faltou sorte ao Grêmio, será que os gremistas realmente estão satisfeitos com a participação do clube no mundial, Renatão culpou alguns jogadores pelo mal dia, não citou nomes, mas disse que alguns jogadores estiveram muito abaixo, e logicamente ele não teve nada a ver com a história, afinal de contas Renatão só coleciona méritos.
Uma comparação inevitável

Logo após o fim do jogo estranhei a quantidade de comentários no sentido de que o Grêmio teria se acadelado contra o Real como o Inter contra o Barça em 2006, e que as estatísticas e o panorama dos jogos teriam sido muito parecidos, só que não.

Meu amigo Bica sabe que não sou muito chegado a utilizar números e estatísticas no futebol, e que sou completamente avesso a comparações de times de épocas diferentes, mas exercitemos:

Primeiro vale dizer que acho esse time do Real MUITO mais time que aquele Barça de 2006, assim como acho aquele Inter um POUCO mais time que esse Grêmio atual, mas isso é só achismo, vamos ver se os números esclarecem alguma coisa:

Conclusões: A posse de bola dos confrontos foi bastante parecida, mas a grande diferença são as finalizações SÓ UMA DO GRÊMIO, é muito pouco pra quem ousava acabar com o planeta, nesses confrontos o Inter, foi quem errou menos passes, o que demonstra que o time era bastante maduro e técnico, e os impedimentos deixam bem claro que o Inter tinha uma proposta de contra-atacar com bolas longas, tanto que o gol saiu numa dessas bolas, já o Grêmio …

Com toda sinceridade, estou feliz que esse ano tenha acabado e acho que 2018 mostrará o quanto Grêmio e Inter estiveram fora da realidade em 2017, tá ligado.

About the author

anonimo

1 Comment

Click here to post a comment

Recordar é viver

Categorias