Planejamento bom é quando ganha

Apesar das insistentes teorias de que a bola não entra por acaso e de que é preciso planejar minuciosamente os movimentos de um clube esportivo para atingir objetivos e resultados, aprendemos que o negócio mesmo é ir pensando jogo a jogo e azar do goleiro.

Apoiados na máxima PIFFERIANA (que sua alma descanse no Sétimo Círculo do Inferno da Série D) de que planejamento só funciona quando por uma sorte advinda de algum canto do Cosmos teu time triunfa, vamos tentar pensar no Internacional de 2018. Eu sei que faltando pouco menos de três meses para virarmos a folhinha do calendário da borracharia é demasiado precipitado pensar nesse FUTURO DISTANTE, mas estamos aqui para te prevenir do pior.

São três cenários possíveis – e para cada um deles, o “planejamento” que nos aguarda:

Título e o Império da Coronária Entupida

De alguma maneira que nem a física quântica vai explicar daqui algumas décadas, o Inter conquista a Série B 2017. Com o acesso e a taça no armário Pep Gordiola é personagem em matérias do Esporte Espetacular e ganha status de “estrategista”. Indica reforços do Bahia, Ponte Preta, Chapecoense e suas coletivas de imprensa são leves e descontraídas.

Previsão: Até março de 2018 a casamata estará preenchida. Mais do que isso não podemos garantir.

Entre o Infarto do Miocardio e a Taça

Vaga e Professor Prestigiado

Mantendo a tradição de não conseguir ser campeão brasileiro, conquistamos o vice-campeonato. Apesar dos insistentes pedidos de troca da comissão técnica, diretoria e staff mantém Guto Ferreira (sem apelido ou carinho) para o próximo ano. Durante a pré-temporada a palavra “prestigiado” é dita 327 vezes segundo aponta tese de mestrado na FAMECOS.

Previsão: Na terceira rodada do Charmoso Gaúchão® Guto não resiste ao empate com o Ypiranga em casa (para um público de 1.726 torcedores) e é demitido.   

Quinto Lugar e a Nova Swat Contra-Ataca

Caos. Spray de pimenta. Um boneco de Celso Roth é queimado em praça pública. Guto concede entrevista enquanto coquetéis molotov são lançados na sala de imprensa.

Previsão: Nomes como Cláudio Duarte são ventilados como se estivéssemos em 1995 – e estivéssemos sentido saudades. Desta vez o presidente do clube não vai para a praia tirar férias e analisa nomes para 2018.

Portanto é provável que comecemos 2018 com Guto na prancheta. Se isso é bom ou é ruim? Só o futuro vai dizer.

About the author

Felipe

Felipe da Costa Conti, 34, Jornalista, Colorado.
Queria ser o Taffarel mas não serve nem pra Maizena.

Add Comment

Click here to post a comment

Recordar é viver

Categorias