Xoxo por xoxo (ou comentando aleatoriamente – part II)

Tem gente botando toda culpa na cola do Autuori. O que não tá errado, pelo menos no caso do jogo de ontem, empate em 1 a 1 com o Vitória, no Olímpico. Só que os jogadores também têm parte na atuação, não esqueçam disso.

Mais uma vez o Grêmio foi moribundo, xoxo. Nem Rochemback, que “acabou com a cordialidade nos treinos” (só não sei porque ela existia), mostrou virilidade dentro de campo, extenuadas duas ou três divididas massomeno.

E quando vi o Grêmio marcando de longe, aceitando as infiltrações do Vitória, vi (mas não quis acreditar) que a coisa iria ser complicada, diferente do que vinha acontecendo em casa. E até a torcida, exemplo de alento, murchou. Ouviu-se pouco pelos microfones do PFC além da narração empolgante daquele narrador de madrugadas boêmias que inventou o jeito mais tosco de se gritar “gol” na TV brasileña : é rediiii.

Enfim, o Grêmio fez dois jogos, contra Botafogo e Vitória, tão ruins que comecei a ficar assustado.

O Tricolor conseguiu repetir os 2.514 passes errados. A zzzzzzzaga, ou melhor, a defesa (a exceção de Mario Fernandes) deixou o grande Berola vir, entrar, deitar e rolar. Lúcio foi mal. Réver foi horrível, talvez o pior em campo. Adilson não jogou metade do que vinha mostrando. Rochemback foi normal, cansou no segundo tempo. E Túlio, com a faixa de capitão (!), não foi água nem vinho.

Falando nisso, devo dizer que demorei um bom tempo pra acreditar que Tcheco estava no banco. Eu gosto do gurizinho, o dublê do cara da série “Eu, a Patroa e as Crianças”, mas prefiro ele entrando no segundo tempo, contra os caras cansados, do que o Maestro tendo que entrar pra arrumar as coisas nos minutos finais. Tudo bem que Tcheco vinha mal (fora de casa), mas não há no elenco tricolor alguém que o substitua à altura.

E tem mais. No segundo tempo, quando Autuori tirou Douglas Costa pra colocar Tchequito, errou, porque Souza estava muito mal na partida e merecia sair, mesmo sendo um cara diferenciado. E o guri deveria ter ficado, porque estava razoável, tentando ao menos.

Outra. Por que o Joilson entra SEMPRE? E cada vez numa posição diferente? Ora lateral, ora volante, ora meia de armação.

Sei que quando Autuori mandou o Joilson pro campo, tirou Túlio e deixou Rochemback com a língua arrastando nos garrão em campo. Errou de novo! Devia ter deixado o Túlio, que tem ritmo de jogo, tirado o Roca e colocado o Joilson, que seja. O erro estava no substituído mais do que no substituto.

Então, veja: não tinha defesa. Não tinha meio (Souza estava mal e Douglas Costa estava médio). E no ataque a bola não chegava. Jonas até tentava, mas saía demais da área, tinha que vir buscar e Perea se anulou. Quem entrou depois, entrou na média.

Não tem o que dizer, tá ficando cada vez mais complicado achar uma explicação. Só sei que foi uma jornada que NÃO devemos esquecer. Pelo menos pra NÃO repetí-la. Dos 12 pontos em 12 que tínhamos chance de fazer, já perdemos 4. Restam 6. TEM QUE FAZER 6, cacildis!

About the author

Grenalzito Corp

1 Comment

Click here to post a comment

Recordar é viver

Categorias